8 de maio de 2011

ONDAS CEREBRAIS: O cerebro conversa.

 “As Ondas Cerebrais estão agrupadas segundo suas freqüências e tituladas com letras gregas. As frequências mais comuns compreendem as das Ondas Gama, Beta, Alfa, Teta e Delta” (Psychology, New York: Worth Publishers, 1995:115).

O cérebro, a exemplo do coração, também se expressa através de pulsações rítmicas, medidas em Herz (ciclos por segundo), fruto das velocidades de percurso da energia eletro-químio-magnética liberada por neurônios, numa reação em cadeia.

Essa reação em cadeia por sua vez, significa um processo de comunicação em nível regional ou global (bilhões), sempre dentro dos limites do Hardware Cerebral (Neurosphera, 2011).

Esse processo de comunicação é registrado tanto pela Eletroencéfalografia (EEG) quanto pelos modernos registros de imagens cerebrais, citados no artigo anterior.

NEUROSPHERA observa que essa manifestação rítmica do processo comunicativo cerebral (incrivelmente complexo), fundamenta-se em princípios de INTERAÇÃO E COERÊNCIA entre suas partes e funções.

Com base nestes princípios, as distintas Ondas Cerebrais apresentam um padrão de funcionalidade característico para cada processamento e comunicação numa relação de equilíbrio denominado EQUILÍBRIO HOMEOSTÁTICO.

A quebra dessa HOMEOSTASE implica algum grau de endo ou exo DISFUNCIONALIDADE, resultando em ondas mais lentas ou mais rápidas em relação ao respectivo processamento e região cerebral.

As possíveis causas dessas disfuncionalidades podem ter como causas, alterações morfológicas e/ou funcionais.

Baseados em estudos de casos e também a partir do imenso repertório de referências, justifica-se grande repertório de disfuncionalidades em suas dimensões cognitiva, física-psicomotora, afetivo-emocional, sociocultural e espiritual. Estas por sua vez, expressam alterações e quadros patológicos com consequências e distintos graus de limitação de desempenho humano.

Neste sentido, somente avaliações muito específicas dentro da Ciência do Neurofeedback com seus recursos tecnológicos de ponta, viabilizam diagnósticos precisos e capazes de gerar a terapêutica necessária e acima de tudo, complementar e/ou mais eficiente que a mera terapêutica medicamentosa.

Num paralelo com os batimentos cardíacos em repouso ou nos diferentes níveis de desempenho e intensidade, o cérebro também expressa ondas cerebrais lentas ou aceleradas que expressam diferentes estados de “Ser” e de “Estar”, relacionados às distintas funções e desempenho dos sistemas nervoso (central e periférico) em suas dimensões.

O vasto acervo de referências disponíveis atesta nosso conceito acerca destas dimensões e para tal, NEUROSPHERA recomenda aos leitores uma ampliação em suas pesquisas e paradigmas.

Em termos bastante gerais, as Ondas Cerebrais de pulsação lenta estão associadas a estados criativos ou intuitivos (mais interiorizados), bem como ao pensar, e ao estado sonambúlico (sonho), estados estes geralmente associados mais a imagens que a palavras.

Ondas Cerebrais lentas podem também expressar relação com problemas relacionados à atenção (déficit de atenção), problemas de aprendizagem ou estados depressivos, dentre outros.

As Ondas Cerebrais de pulsação rápida por sua vez, estão associadas ao pensamento lógico e racional, ao processamento de palavras e à visualidade em seus estágios de focalização interior ou com o meio-ambiente.

Neste sentido, Posner & Raichle (2001) registram exemplarmente em “Imagens da Mente”, os experimentos que comprovam diferentes estágios dos processamentos acima.

Julgamos dispensável abordar algumas das ondas cerebrais dentre elas, as denominadas Ondas MU ou Ondas da Ressonância Schumman (7,8 Herz); ao menos momentaneamente.

Também observamos que todas as ondas podem apresentar níveis diferenciados; baixo, médio, alto (Low, Mid e High).

NEUROSPHERA faz menção ao termo DISFUNCIONALIDADE, com relação ao Equilíbrio Homeostático, implicando alterações para cima ou para baixo do padrão de onda da área afetada.

Como consequência dessas alterações podemos mencionar comportamentos obsessivos, compulsivos, estados de ansiedade ou de dependência (adicção), dentre outros.

Ondas Cerebrais de pulsação intermediária estão associadas a estados de consciência ou alerta em situações de desempenho e performances intelectual, profissional e desportiva, etc.

A predominância extremada nestas frequências intermediárias pode indicar relação de sobrecarga frente às tarefas, bem como desmotivação.

NEUROSPHERA não pode deixara de fazer menção às referências contidas no site da empresa NEUROBITE SYSTEMS (www.neurobitsystems.com) o que, complementa nossa apreciação sobre as Ondas Cerebrais, apesar das inúmeras citações, classificações e relações entre estados mentais e ou funções mentais.

A classificação das Ondas Cerebrais contida no presente artigo, fundamenta-se na obra do Dr. Stephen Larsen: “The Healing Power of Neurofeedback”, 2006.

De forma complementar NEUROSPHERA assume a responsabilidade pelas informações adicionais.

Assim sendo, passemos à apreciação e diferenciação dos Tipos de Ondas Cerebrais.

TIPOS DE ONDAS CEREBRAIS:



Ondas Delta (0 – 4 Herz) características dos estados de sono profundo, coma, sinalização de lesão ou traumatismo e depressão, mas também, expressão de estados de meditação profunda (“Unidade Cósmica ou Oceânica”), experiências transpessoais e paranormais.

No estado de sono profundo, parecem existir evidências de liberação do hormônio do crescimento, responsável pelos processos de regeneração e cura, o que aparentemente justifica a necessidade da estrutura biológica, nos estados de coma. (Neurosphera).

Ondas Teta (4 - 8 herz)





Com o aprofundamento do relaxamento, advém o estado de sonolência e, próximo do adormecimento podem surgir flashes de imagens (já há muito esquecidas), inspiração e memórias.

Embora existam subníveis deste padrão de ondas, estas permitem acesso e receptividade a informações além dos padrões normais da consciência e compreendem também, importante portal de acesso a:

a) redução do estresse;

b) memorização;

c) aprendizagem destacando: recursos de super-aprendizagem, aprendizagem acelerada, programação mental, etc);

d) estimulação e modificação comportamental utilizada no tratamento de dependências químicas de álcool, fumo e outras drogas; 

e) auto-hipnose e recordação de sonhos.

Estas ondas também estão relacionadas aos seguintes estados: déficit de atenção, hiperatividade, psicoses, convulsões, etc.

Ondas Alfa (8 – 12 Herz) - características dos estados de consciência relaxada, típicas do despertar, do adormecer, dos estados de “divagação”, de relaxamento (embora alerta) e de meditação.

Neste padrão e embora acordado o indivíduo descansa, encontrando-se tranquilo física e mentalmente. O processamento de informações é diminuído.

O simples fechar dos olhos induz o surgimento deste padrão de ondas cerebrais, que favorece a/o(s):

1) auto-hipnose;

2) reprogramação mental e a aprendizagem;

3) visualizações;

4) fluxo de energia criativa (criatividade);

5) experiência de liberação e sensação de paz, bem-estar e do estado de “Awareness”;

6) superação do estado de “medo”;

7) etc.

Importante considerar que apesar de todas as características positivas, as Ondas Alfa também estão presentes em estados de: “ruminação mental”, estados obsessivos, ansiedade e dores.

Ondas SMR –também conhecidas como Ondas do Ritmo Sensóriomotor  (12 -15 Herz), também denominado Alfa Elevado. Tem como característica a ativação de áreas sensomotoras resultantes de tarefas motoras, atividades físicas ou atividades decorrentes do treinamento ideomotor (motor imagery) em referência a Ernst Niedermeyer, Fernando Lopes da Silva Electroencephalography. Basic principles, Clinical Applications and Related Fields. 3rd edition, Williams & Wilkins Baltimore 1993.

Segundo VERNON (2003) este tipo de ondas permite ao organismo a manutenção da HOMEOSTASE, além de aliviar sintomas de epilepsia. Segundo o autor et alii, estas ondas também seriam responsáveis pela melhoria nos desempenhos de memória operacional e de atenção. Vernon, David; Tobias Egner, Nick Cooper, Theresa Compton, Claire Neilands, Amna Sheri and John Gruzelier (January 2003). "The effect of training distinct neurofeedback protocols on aspects of cognitive performance". International Journal of Psychophysiology 47 (1): 75–85.

Estas ondas também parecem estar relacionadas aos estados de alerta (tranquilo); à prevenção de convulsões, no trato com a hiperatividade, etc. (Sterman & Lubar), muito embora também estejam relacionadas a estados de ruminação, insônia e ansiedade. 

NEUROSPHERA dentre outras razões e fundamentações acredita na possibilidade segundo a qual, a ATIVIDADE FÍSICA, justifique sua razão de ser.

Futuramente detalharemos elementos ligados a uma NEUROPEDAGOGIA, com base em nossa experiência pessoal e mais atualmente no projeto: "INICIAÇÃO AO SHOTOKAN KARATÊ-DO: Percepção e Humanização através do ´BUDO` - O Caminho da Arte Marcial na Administração dos Espaços, Cidadania, Crenças e Valores".

Essa proposta concreta lida diretamente com a estimulação deste tipo de ondas, além de outras modulações (Beta, Alfa, etc.) compreendendo o aumento da capacidade de rendimento escolar, do foco de atenção, dentre outros parâmetros.

Ondas Beta (15 – 28 Herz) – caracterizam ondas associadas aos estados de foco sensorial ativo, vigília e alerta diretamente relacionados aos estados de desempenho do “Aqui e do Agora”.

Estas ondas podem ser diferenciadas em:

Ondas Beta (15 – 22 Herz) características dos estados de atividade mental, solução de problemas intelectuais (cognitivos) e psicomotores que exigem elevada concentração nas práticas diárias profissionais, acadêmicas, desportivas, etc. que implicam a solução de problemas, o trabalho de visualização, situações de estresse, etc.;

A DOMINÂNCIA disfuncional deste tipo de ondas pode implicar: intensificação do estado de alerta, estados de insônia, ruminação, elevada ansiedade, pânico, fobias, etc.;

Ondas Beta (22 – 28 Herz) características dos estados de elevada criatividade, genialidade, execução de tarefas múltiplas, solução de problemas, mas também de: hiper-vigília, elevada ansiedade, raiva, fúria e convulsão dentre outras condições.

Ondas Gama (28 – 70 Herz e acima) comprovadas e alvo de exploração e estudos científicos, estas ondas estão integradas com todas as atividades corticais ligadas a estados mentais excepcionais, à genialidade e à denominada “iluminação”.

Bem, chegamos ao final deste artigo!

Nossa próxima publicação deverá abordar um tema fascinante e relacionado às aplicações do Neurofeedback e perspectivas de melhoria daquilo que Neurosphera denomina “disfuncionalidades”.

Estamos abertos a contribuições e eventuais correções, agradecendo as dicas que queiram postar.

Não temos a pretensão de dominar o tema no sentido estritamente acadêmico, muito embora, busquemos ter nos referenciais, apoio e fundamentação.

OBRIGADO!

No limite do subconsciente, estão associadas aos estados de transe, abstração, intuição, e transição para a experiência místico-religiosa. Também são fruto da meditação (intuição e experiências extra-sensoriais), compreendendo por exemplo, a sensação de “flutuação e expansão da mente, para além das fronteiras do corpo físico...”.

Um comentário:

  1. Mistérios da mente e suas funções ainda impressionam o ser humano,como algo tão complexo como o cérebro pode se tornar mais misterioso cada vez q descobrimos algo sobre ele?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...